Shuggie Bain - Shuggie Bain

Da Wikipédia, A Enciclopédia Livre

Pin
Send
Share
Send

Shuggie Bain
Shuggie Bain (Douglas Stuart) .png
Capa da primeira edição
AutorDouglas Stuart
Áudio lido porAngus King
Artista da capaFotografia por Peter Marlow (capa da primeira edição)
PaísEstados Unidos
LínguaInglês
Gênero
Definido emGlasgow, 1981–1992
EditorGrove Press (NOS), Picador (REINO UNIDO)
Data de publicação
11 de fevereiro de 2020 (EUA)
Tipo de mídiaImpressão (capa dura e capa mole), e-book, áudio
Páginas448
PrêmiosPrêmio Booker (2020)
ISBN978-0-8021-4804-9 (Capa dura da primeira edição dos EUA)
OCLC1105711179
813/.6
Classe LCPS3619.T828 S58 2020
Local na rede Internetwww.douglasstuart.com

Shuggie Bain é o romance de estreia pelo escritor escocês-americano Douglas Stuart, publicado em 2020. Conta a história do mais novo dos três filhos, Shuggie, crescendo com sua mãe alcoólatra, Agnes, na década de 1980, em Era Thatcher pós-industrial classe operária Glasgow, Escócia.[1][2]

O romance foi premiado com o Prêmio Booker 2020,[3] fazendo de Stuart o segundo vencedor escocês do prêmio, após James Kelman em 1994.[4] Shuggie Bain também foi finalista para 2020 Prêmio Nacional do Livro de Ficção.[5]

Enredo

Em 1992, Hugh "Shuggie" Bain tem quinze anos e mora sozinho em uma pensão em Glasgow. Enquanto trabalha em turnos em uma delicatessen de supermercado, ele aspira ser cabeleireiro. Ele sai do trabalho, colocando latas de peixe em sua bolsa.

Em 1981, Shuggie, de cinco anos, está morando em um apartamento em Sighthill com seus avós maternos, Wullie e Lizzie; sua mãe, Agnes Bain; seu pai, Hugh "Shug" Bain; seu meio-irmão, Leek; e sua meia-irmã, Catherine. O pai de Shuggie está quase sempre ausente, trabalhando como motorista de táxi e tendo casos com outras mulheres. Agnes é uma mulher bonita, muitas vezes comparada a Elizabeth Taylor, mas ela não está satisfeita com sua vida e começa a beber.

No ano seguinte, Shug muda a família para um apartamento municipal em Pithead para famílias de trabalhadores da mina local. Ele finalmente abandona a família lá, deixando-os para viver com Joanie Micklewhite, a despachante de sua empresa de táxi. Agnes deseja uma vida de glamour, orgulhando-se de suas roupas, mas sua infelicidade a leva a depender do álcool. Enquanto isso, Shuggie sofre bullying na escola e na vizinhança por não se enquadrar e por ser efeminado. A influência de sua mãe sobre ele o coloca em conflito com as crianças da cidade. Shuggie costuma faltar à escola para ser o cuidador de sua mãe durante suas ressacas.

Os pais de Agnes morrem e sua filha se casa jovem, mudando-se para a África do Sul. Seu alcoolismo piora e Agnes se deixa levar e abusar dos homens. Seu futuro parece mais brilhante quando ela começa a ir Alcoólicos Anônimos reuniões e consegue um emprego como frentista de posto de gasolina. Ela conhece um motorista de táxi chamado Eugene, com quem ela começa a namorar, mas quando ele a convence a beber uma taça de vinho no jantar, ela recai no alcoolismo. Eugene a deixa depois que ela tenta o suicídio com uma lâmina de barbear.

O alcoolismo de Agnes continua a afastá-la dos filhos. Em um de seus ataques de raiva, ela chuta Leek para fora de casa. Apesar de seu comportamento, Shuggie mantém uma devoção inabalável por ela. Os dois se mudam para um novo bairro e Agnes promete parar de beber, mas incapaz de mudar suas circunstâncias, seu relacionamento se torna tenso conforme Shuggie fica mais velho. Em um estado de estupor alcoólico, Agnes morre após inalar sua própria saliva.

Em 1992, Shuggie dá as latas de peixe para sua amiga Leanne, que as dá para sua mãe alcoólatra, moradora de rua.

Publicação

O manuscrito foi rejeitado por pelo menos 30 editoras antes de ser comprado pela editora americana independente, Grove Atlantic.[6][7] Foi publicado pela primeira vez nos Estados Unidos em capa dura de Grove Press em 11 de fevereiro de 2020.[8] Mais tarde, o Picador impressão de Pan Macmillan publicou-o no Reino Unido primeiro como um softback mercado Aberto edição (OME) em 20 de fevereiro de 2020 e como uma capa dura em 6 de agosto de 2020.[9] UMA alemão tradução será lançada em agosto de 2021 por Hanser Berlin.[10]

A capa da The Grove Press apresenta uma fotografia de Peter Marlow.[11] Douglas Stuart expressou um carinho pela fotografia, dizendo que "captura perfeitamente o amor feroz que Shuggie tem por sua mãe problemática".[12] A capa do Picador traz uma fotografia de Jez Coulson, tirada em Easterhouse, Glasgow[13][14] (sobre o qual Stuart tuitou em 13 de agosto de 2020: "Fiquei instantaneamente impressionado com o poder da foto de Jez no momento em que a vi").[15]

Edições

  • Shuggie Bain (capa dura). Nova york: Grove Press. 11 de fevereiro de 2020. ISBN 978-0-8021-4804-9.
  • Shuggie Bain (softback) (Air Iri OME ed.). Londres: Picador. 20 de fevereiro de 2020. ISBN 978-1-5290-1928-5.
  • Shuggie Bain (capa dura). Londres: Picador. 6 de agosto de 2020. ISBN 978-1-5290-1927-8.
  • Shuggie Bain (softback). Nova York: Grove Press. 13 de outubro de 2020. ISBN 978-0-8021-4850-6.
  • Shuggie Bain (em polonês). Traduzido por Cieślik, Krzysztof. Poznań: Wydawnictwo Poznańskie. 2021.[16]
  • Shuggie Bain (em alemão). Traduzido por Zeitz, Sophie. Berlim: Hanser Berlin. Agosto de 2021.

Recepção

O romance foi amplamente resenhado, geralmente de forma positiva. Escrevendo em O observador, Alex Preston disse: "Raramente um romance de estreia estabelece seu mundo com tanta firmeza, e a prosa de Stuart é ágil, lírica e cheia de percepções descritivas reveladoras. Este é um livro memorável sobre família, violência e sexualidade."[17] Revisando para o New York Times, Leah Hager Cohen escreveu que "o livro seria quase insuportável se não fosse pela capacidade surpreendente do autor para o amor. Ele é adorável, Douglas Stuart, feroz, amoroso e adorável. Ele nos mostra muitos comportamentos monstruosos, mas não um único monstro - apenas dano. Se ele tem um olho aguçado para o quebrantamento, ele está ainda mais interessado na centelha inextinguível de amor que permanece. "[18]

No Daily Telegraph, Cal Revely-Calder chamou o romance de "um retrato surpreendente, tirado da vida, de uma sociedade deixada para morrer - esquecida por aqueles que não acreditavam na sociedade e disseram a ela para cuidar de si mesma".[19] Allan Massie dentro O escocês observou que Stuart "não esconde nada dos horrores do alcoolismo galopante, mas há uma galanteria em Agnes que impõe respeito e admiração, embora com relutância".[20] A revisão em Kirkus concluiu: "Como o amor pode ser tão poderoso e tão indefeso ao mesmo tempo? Os leitores podem passar por todo o romance sem desmoronar - então, ler a primeira frase dos agradecimentos e perdê-la. A verdade emocional incorporada aqui o abrirá. Você nunca vai esquecer Shuggie Bain. Cena por cena, este livro é uma obra-prima. "[21] Comparando o livro com outro do ano Prêmio Booker trabalhos pré-selecionados, Vida real de Brandon Taylor, Shougat Dasgupta anotado em O hindu que ambos os romances eram "ligados por uma sensação de pavor e uma busca pelo amor", e passaram a descrever Shuggie Bain como parte de uma "rica costura da escrita contemporânea da classe trabalhadora escocesa". Resumindo, a revisão afirmou: "Ocasionalmente, Shuggie Bain, com seu sentimentalismo e miséria avassaladora, pode chegar perto da autoparódia, mas é sempre puxado para trás por seu enorme coração, pelo enorme amor que liga Shuggie a Agnes. "[22]

Shuggie Bain foi listada para 2021 Medalha Andrew Carnegie de Excelência em Ficção,[23] pré-selecionados para 2020 Prêmio de primeiro romance do Center for Fiction,[24] e foi finalista para 2020 Prêmio Kirkus[25] bem como 2020 Prêmio Nacional do Livro de Ficção.[26] Em 19 de novembro de 2020, foi anunciado como o vencedor do Prêmio Booker 2020, escolhido por um painel de jurados que compreende Margaret Busby (cadeira), Lee Child, Sameer Rahim, Lemn Sissaye Emily Wilson.[3] Entrevistado na época de sua longa lista de Booker, Stuart disse que o vencedor escocês anterior do prêmio, James Kelmande Como era tarde, como tarde (1994), foi uma inspiração para ele,[27][28] e mudou sua vida por ser "uma das primeiras vezes que vi meu povo, meu dialeto, na página".[7]

Adaptação para televisão

A24 e Scott Rudin A Productions ganhou os direitos para uma adaptação para a televisão de Shuggie Bain.[29]

Prêmios e indicações

Referências

  1. ^ Gearty, Eliza (16 de março de 2020). "Shuggie Bain, uma janela para Glasgow pós-industrial ". jacobino. Recuperado 29 de outubro 2020.
  2. ^ Baker, Lindsay (27 de outubro de 2020). "Os melhores livros do ano até agora 2020". www.bbc.com. Recuperado 14 de novembro 2020.
  3. ^ uma b Flood, Alison (19 de novembro de 2020). "Douglas Stuart ganha prêmio Booker pela estreia Shuggie Bain". O guardião. Recuperado 19 de novembro 2020.
  4. ^ Clark, Alex (22 de novembro de 2020). "A história de Shuggie Bain nos diz que o prêmio Booker amadureceu". O observador.
  5. ^ Williams, John (6 de outubro de 2020). "Anunciados os finalistas do National Book Awards". O jornal New York Times. Recuperado 29 de outubro 2020.
  6. ^ Alter, Alexandra (19 de novembro de 2020). "Douglas Stuart ganha prêmio Booker por 'Shuggie Bain'". O jornal New York Times. ISSN 0362-4331. Recuperado 24 de novembro 2020.
  7. ^ uma b Chandler, Mark (19 de novembro de 2020). "Vitória do Prêmio Booker de Douglas Stuart recebido por livreiros". O Livreiro.
  8. ^ "Shuggie Bain". Grove Atlantic. Recuperado 29 de outubro 2020.
  9. ^ "Shuggie Bain por Douglas Stuart". Pan Macmillan. Recuperado 29 de outubro 2020.
  10. ^ "Preisregen für queere Literatur". queer.de (em alemão). 21 de novembro de 2020. Recuperado 24 de novembro 2020.
  11. ^ Stuart, Douglas (11 de fevereiro de 2020). Shuggie Bain: um romance (vencedor do prêmio Booker). Grove Atlantic. ISBN 978-0-8021-4805-6.
  12. ^ @Doug_D_Stuart (30 de agosto de 2019). "Estou muito feliz por compartilhar a capa de SHUGGIE BAIN. Sempre amei essa foto íntima de Peter Marlow. Acho que captura perfeitamente o amor intenso que Shuggie tem por sua mãe problemática. Obrigado @peterblackstock e @groveatlantic Puta merda! É real" (Tweet) - via Twitter.
  13. ^ Christie, Janet (22 de agosto de 2020). "Entrevista: Douglas Stuart - o escritor escocês estreante faz a longa lista de The Booker com Shuggie Bain". O escocês. Recuperado 20 de novembro 2020.
  14. ^ "Crucificado em Easterhouse: Glasgow: Escócia". www.jezblog.com. 22 de maio de 2008. Recuperado 20 de novembro 2020.
  15. ^ @Doug_D_Stuart (13 de agosto de 2020). "Respondendo a @LostGlasgow, obrigado LG! Fiquei instantaneamente impressionado com o poder da foto de Jez no momento em que a vi. Stu e a equipe @picadorbooks fizeram um trabalho fenomenal com a capa" (Tweet). Recuperado 27 de novembro 2020 - através da Twitter.
  16. ^ Płociński, Michał (26 de novembro de 2020). "Booker to nagroda, która" robi pisarza"". Rzeczpospolita (em polonês). Recuperado 26 de novembro 2020.
  17. ^ Preston, Alex (9 de agosto de 2020). "Revisão de Shuggie Bain por Douglas Stuart - estreia ágil e reveladora". O observador.
  18. ^ Cohen, Leah Hager (11 de fevereiro de 2020). "Em Glasgow dos anos 1980, um mundo de dor tornado suportável pelo amor". O jornal New York Times. Arquivado do original em 22 de novembro de 2020.
  19. ^ Revely-Calder, Cal (19 de novembro de 2020). "Shuggie Bain de Douglas Stuart, crítica: um romance ardente que merece sua aclamação". O telégrafo.
  20. ^ Massie, Allan (21 de agosto de 2020). "Crítica do livro: Shuggie Bain, de Douglas Stuart". O escocês.
  21. ^ "Você nunca vai esquecer Shuggie Bain. Cena por cena, este livro é uma obra-prima". Kirkus Comentários. 1º de novembro de 2019.
  22. ^ Dasgupta, Shougat (31 de outubro de 2020). "Uma terrível beleza: revisão de 'Shuggie Bain' e 'Real Life'". O hindu. ISSN 0971-751X. Recuperado 23 de novembro 2020.
  23. ^ "Anunciada a longa lista de medalhas Carnegie para 2021". Bibliotecas Americanas. 26 de outubro de 2020. Recuperado 24 de novembro 2020.
  24. ^ "Lista longa do prêmio de primeiro romance do Centro de Ficção 2020". Publishers Weekly. 22 de julho de 2020. Recuperado 24 de novembro 2020.
  25. ^ Schaub, Michael (9 de setembro de 2020). "Os finalistas do Prêmio Kirkus são anunciados". Kirkus. Recuperado 24 de novembro 2020.
  26. ^ Kircher, Madison Malone (6 de outubro de 2020). "Chegaram os finalistas do National Book Awards". Vulture.com. Recuperado 24 de novembro 2020.
  27. ^ "Douglas Stuart ganha Prêmio Booker". BookBrunch. 20 de novembro de 2020. Recuperado 25 de novembro 2020.
  28. ^ "Entrevista com o autor da lista longa Douglas Stuart". Os prêmios Booker. 11 de agosto de 2020. Recuperado 25 de novembro 2020.
  29. ^ Kroll, Justin (3 de dezembro de 2020). "A24 e Scott Rudin Productions conquistam os direitos de 'Shuggie Bain' de Douglas Stuart com planos desenvolvidos para a TV". Data limite. Recuperado 4 de dezembro 2020.
  30. ^ "The Booker Prize 2020". Os prêmios do Booker. Recuperado 19 de novembro 2020.
  31. ^ "National Book Awards 2020". Fundação Nacional do Livro. Recuperado 29 de outubro 2020.
  32. ^ "Prêmio Kirkus 2020". Kirkus Comentários. Recuperado 22 de novembro 2020.
  33. ^ "Prêmio de primeiro romance de 2020: a lista restrita". The Center for Fiction. Recuperado 29 de outubro 2020.
  34. ^ "Vencedores de 2021". Andrew Carnegie Medalhas de Excelência. Recuperado 29 de outubro 2020.

Pin
Send
Share
Send